A Economia das Doenças Raras: Teoria, Evidências e Políticas Públicas.

Ramon Wiest

Resumo


Resumo:

Objetivos: Realizar uma revisão teórica da Economia das Doenças Raras e das Drogas Órfãs sobre as implicações econômicas destas doenças e dos medicamentos utilizados para tratá-las. Metodologia: Compilação e análise crítica da bibliografia encontrada. Resultados: A raridade destas doenças torna desinteressante para a indústria farmacêutica o investimento. Os sistemas de regulação vigentes nos Estados Unidos e na União Europeia mostraram-se eficientes. Conclusões: Mecanismos de regulação são capazes de estimular o desenvolvimento de drogas órfãs. É necessário intensificar o debate sobre as doenças raras no Brasil, pois não existe uma política pública voltada para esta problemática no país.

Palavras-chave: Doenças Raras. Drogas Órfãs. Economia da Saúde. Direito e Economia. Regulação em Saúde.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Associação Mineira de Direito e Economia - www.amde.org.br

ISSN 2175-5590